segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Oficina de Humanismo e atividades criativas para o desenvolvimento psicomotor

 A professora raquel Karpinski Lemes, que trabalha no Curso de Pedagogia da FACCAT e é Mestranda no PPG/Edu da UFRGS, brindou as pibidianas no mês de novembro com uma bela oficina.


Durante o encontro, as acadêmicas bolsistas puderam refletir sobre uma Educação mais humanizadora, cujos profissionais da área devem dedicar um olhar sensível para as crianças e jovens, levando em conta suas diferentes trajetórias de vida e agindo ao encontro do pluralismo cultural e da diversidade, de modo geral.


Além disso, uma prática de psicomotricidade foi realizada pelas acadêmicas, que, orientadas pela palestrante e oficineira, desenvolveram belos trabalhos manuais, ao encontro do gosto e criatividade de cada bolsista, que ficaram livres para decidir o que fariam com uma enorme quantidade de materiais variados. 


A noite foi emocionante e muito agradável!



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Visita especial na EMEI Alice Maciel

O projeto “Bicharada: Animais Domésticos” vem dando o que falar na turma de Maternal II da EMEI Alice Maciel.


Inicialmente, as acadêmicas bolsistas Evelin e Larissa trabalharam com os alunos o mundo canino.


A partir do interesse das crianças pelos cachorros, puderam ouvir a história de “Homero”, de Leia Cassol, que conta as aventuras de um cãozinho valente.


As acadêmicas bolsistas levaram, para esta contação de histórias, um cão feito de tecido, representando o personagem.


Depois, as crianças puderam se divertir com a brincadeira de “Por o Rabo no Cachorrinho”. Além de desenvolverem a coordenação motora e de se socializarem, as crianças se divertiram muito com esta atividade.


Durante as aulas, os alunos da turma ainda fizeram uma apreciação da obra “Cachorro”, de Romero Britto, analisando cores e formas propostas na obra.


Depois, realizaram uma releitura da tela e a expuseram na escola.



Mas o mais divertindo foi quando receberam o cachorro Matte, da acadêmica Evelin, na própria escola. Quanta diversão com um bichinho tão querido!


Conhecendo um pouco sobre o mundo dos felinos

As acadêmicas bolsistas Adriana e Luciane deram sequência ao projeto "Animais do nosso entorno" e, desta vez, a turma escolheu dois felinos para serem pesquisados pelos pequenos: o leão e o gato.


Num primeiro momento, as pibidianas convidaram as crianças para fazer alguns exercícios de alongamento, acompanhadas de músicas infantis referentes á temática em jogo.


Após os exercícios, as acadêmicas propuseram às crianças que visualizassem algumas imagens dos animais fazendo comparações entre os leões e os gatos.
Os pequenos se expressaram sobre o que já sabem a respeito de ambos. Leões são maiores e fortes, os gatos são menores, ambos são ágeis e o leão tem jubas. Estas foram as repostas das crianças.


 As pibidianas, então, propuseram para a turma que desenhasse estes felinos. Utilizaram muitas cores e toda a criatividade para realizarem suas obras de arte.



A descoberta das ciências pode ajudar a substituir explicações intuitivas que as crianças encontram para o desconhecido (Harlan et al, 2002) e despertar a curiosidade, o medo, a emoção, enfim, sentimentos que possibilitam a atenção e, desta forma, favorecem, a aquisição do conhecimento, instrumentos necessários para que ela compreenda melhor os acontecimentos naturais que a cercam e conheça mais sobre si e o mundo, desenvolvendo a capacidade de reflexão consciente e possibilitando melhores condições de entender e atuar no mundo em que vive. Por isso, este projeto sobre animais está sendo um sucesso, na medida em que enriquece as descobertas, pesquisas e o conhecimento das crianças a cerca dos animais, partindo de suas zonas de interesse.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Expressando sentimentos através das Artes

As pibidianas Carine, Deise e Priscila, ao chegarem na EMEI Azaléia, foram recepcionadas com grande alegria.


Elas retomaram com os alunos o que já havia sido abordado nas aulas anteriores e fizeram as combinações das atividades do dia.


As bolsistas acadêmicas trouxeram uma atividade com mímicas. Ela ocorreu da seguinte forma: num tapete havia várias janelinhas que continham uma carta com expressões faciais e corporais.
 O aluno deveria tirar a carta e expressar o que nela havia através de mímicas, com gestos corporais ou da forma que desejasse. Menos falando!


Após esta atividade, os alunos foram incentivados a construir uma pintura em conjunto. Assim,  as acadêmicas disponibilizaram uma música de fundo e os alunos deveriam expressar, através das cores e de formas seus próprios sentimentos momentâneos, despertados pela canção.


Para a culminância do projeto, as pibidianas trouxeram as máscaras confeccionadas pelos próprios alunos e propuseram um baile de máscaras.


Trabalharam-se as artes, expressões cênicas, coordenação ampla e fina, através desta atividade.  



"A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria" (Paulo Freire)

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Continuando com os animais de nosso entorno...

E a turma do Maternal 2, da EMEI Alice Maciel, decidiu que o próximo animal que iríamos estudar seria a aranha.

  
No momento da roda, os pequenos expressaram-se sobre o que entendiam e sabiam sobre aranhas. Em seguida, as pibidianas contaram para eles algumas curiosidades  sobre os aracnídeos. Depois, que tal brincar de trava língua.

A aranha arranha a rã.
A rã arranha a aranha.
Nem a aranha arranha a rã.
Nem a rã arranha a aranha.


Após as novas descobertas, as crianças criaram suas próprias aranhas com copos descartáveis. Todos decidiram a cor e qual seria o nome de sua aranha!!

 

Enquanto as aranhas secavam, os alunos fizeram duplas com os colegas, para que cada aluno desenhasse uma aranha no colega de forma espontânea. O momento foi muito produtivo e lúdico, por isso, muito significativo para todas as crianças!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Viajando entre estrelas, cometas e astronautas

As pibidianas Elizete, Kelen e Franciele deram início a mais um projeto: “5,4,3,2,1,0.... Fogo! Viajando entre estrelas, cometas e astronautas”, na escola parceira EMEI Bem Me Quer, em Igrejinha.


 As pibidianas iniciaram a aula com uma roda de conversa, questionando as crianças sobre os planetas, as estrelas e os astronautas, ouvindo a opinião e ideias das crianças.


Num segundo momento, as acadêmicas bolsistas contaram a história “Como pegar uma estrela?”, procurando despertar a imaginação das crianças que, após a contação da história, indagaram as mesmas se realmente poderiam pegar uma estrela.
Em seguida, as pibidianas conversaram sobre as estrelas cadentes e pediram para as crianças imaginar que uma estrela cadente havia aparecido e elas deveriam fazer um pedido. Estes desejos foram desenhados numa folha de ofício e colocados, depois, dentro de um recipiente de vidro.


Para finalizar, nossas acadêmicas bolsistas levaram as crianças para o pátio para procurar uma estrela, que já haviam escondido por lá.


Foi um divertimento e uma euforia ao mesmo tempo, as crianças ficaram ansiosas procurando a estrela, até que uma delas encontrou.


Dando continuidade no projeto "5,4,3,2,1,0.... Fogo! Viajando entre estrelas, cometas e astronautas", na semana seguinte, Elizete, Kelen e Franciele iniciaram a aula questionando as crianças sobre o que elas achavam que existia no céu.


Foi assim que os alunos puderam modelar em plastilina (massinha de modelar) o que achavam que havia no céu.
Depois, fizeram um grande cartaz com as obras criadas.
Após esta atividade, as pibidianas dividiram a turma em 6 grupos e distribuíram quebra-cabeças para montarem. O tema, é claro, foi o céu!


Para terminarem, realizaram uma série de jogos, em forma de rodízio, para que todos fossem manipulados pela turma.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Cadê a alegria do Palhaço Pirulito?

 A criança tem o direito de ser feliz, de ser valorizada, respeitada e amada. Ela passa a maior parte do tempo na escola, que, por sua vez, desempenha sua função social, proporcionando a ela um ambiente feliz, acolhedor e amável. Segundo o autor Rubens Alves, através da observação e interação com as crianças, podemos aprender muitas coisas: elas nos ensinam a olhar para as coisas de formas diferentes. Como o autor salienta, a criança tem, por si própria, o dom da alegria. 


 Assim, este
projeto tem o propósito de deixar a criança ser ela mesma.
O tema ”A alegria de ser criança” partiu do diagnóstico feito através da observação das condutas e preferências da turma, que mostrou a necessidade de mais atividades lúdicas, envolvendo várias brincadeiras em sua aplicação.


 Na primeira aula do projeto, as pibidianas iniciaram a aula com a contação da história do palhaço Pirulito, que, certo dia, perdeu sua alegria no circo onde vivia.
Em seguida, as crianças ajudaram o palhaço Pirulito a encontrar sua alegria, que estava perdida pela sala. Depois de muita procura, encontraram a alegria do palhaço que ficou tão feliz que fez um show de palhaçadas para as crianças.


 As crianças adoraram o palhaço Pirulito e todas as interações deste primeiro dia de aplicação do projeto. Além de interagirem com uma bela contação de histórias, as crianças aprenderam sobre expressão de sentimentos durante as atividades realizadas, conheceram um pouco mais sobre a Arte circense e se divertiram muito com as palhaçadas do personagem Pirulito! 

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O controle sobre as emoções depende das compreensões sobre o que sinto



As pibidianas Carine, Deise e Priscila já estão recebendo bons resultados das crianças do maternal II do Emei Azaleia, com seu projeto sobre "Nossos sentimentos".

 

Na manhã da terça feira, dia 08 de novembro, as acadêmicas bolsistas  propuseram para os alunos muitos momentos de história, reflexões, filosofia, brincadeiras e expressão de sentimentos.
 

O primeiro momento foi na roda de conversa, na qual conversaram sobre vários assuntos, que derivaram de conversas espontâneas com os pequenos e, a partir desses diálogos, as pibidianas relembraram as crianças sobre as atividades do último encontro.


Iniciou-se as atividades do dia com uma contação de história, que as crianças adoraram. A história contada foi "Generosidade" da coleção "O que cabe no meu mundinho?".


Após a historinha, vários questionamentos e reflexões foram realizados. E, para a encenação da história, as bolsistas criaram um cenário, no qual utilizaram os emoticons de pelúcia, também criados por elas.
A cada situação contada da história, que remetia a algum sentimento, as pibidianas mostravam o emoticon referente ao mesmo. Por exemplo, quando os amigos brigaram, o emoticon de tristeza era demonstrado, para, assim, os pequenos irem fazendo as relações das situações cotidianas com os seus próprios sentimentos.



Após, em círculo, foi realizada uma brincadeira que foi chamada pelas pibidianas  de: Que emoticon eu peguei? Na roda, cantaram várias músicas, enquanto os emoticons iam passando e, quando a música parava, os alunos tinham que definir qual era o sentimento do emoticon.
 

As crianças também precisavam refletir e expressar verbalmente sobre o que aquele sentimento lembrava para eles e, depois, atuar, encenando o determinado sentimento com os colegas numa brincadeira.
 Depois das atividades propostas, as acadêmicas deixaram as crianças manusear e brincar livremente com os instrumentos utilizados. E o que é impressionante para as pibidianas são as devidas relações referentes às expressões de sentimentos que os pequenos já estão realizando!

 

Para Johann Goethe, “(...) onde se deve procurar a liberdade é nos sentimentos. Esses é que são a essência viva da alma".

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Expressando emoções

 Na última terça-feira, dia 1º de novembro, as pibidianas Deise, Priscila e Carine surpreenderam as crianças do Maternal I na EMEI Azaleia, levando almofadas de alguns emoticons que representam sentimentos, tais como: alegria, tristeza, medo, susto, raiva, amor.


Partindo dessas expressões emocionais, as crianças foram convidadas a expressarem emoções em frente ao espelho. Primeiramente, a que estavam sentindo no momento, depois, através da imitação de diversas expressões faciais emocionais.


Aprender a expressar emoções é uma forma eficaz de se relacionar socialmente e de se ter o domínio sobre as próprias emoções. 


As crianças pequenas, muitas vezes, não sabem direito o que estão sentindo, pois esta é uma aprendizagem que se constrói pouco a pouco. Por isso, o projeto com as crianças do Maternal é muito importante! A inteligência emocional ajuda a criança a expressar de melhor forma aquilo que sente e pensa.



Após a primeira atividade com os emoticons, cada uma pôde confeccionar uma máscara com mosaico, expressando diferentes sentimentos.